Foi assim

capa de livro de contos de Benedito Carneiro

  • Ele enfrentou perigos em aventuras por causa dela. Ela era linda. Morava em um castelo no topo de uma montanha. Ele tinha um cavalo e uma espada. Era destemido e corajoso. O amor entre eles foi instantâneo e maravilhoso. Ela como princesa, ele como príncipe. Casaram-se e viveram felizes para sempre. Não se sabe se foi mesmo para sempre. A história parou de ser contada após o casamento. Assim aconteceu num conto de fadas.
  • Amavam-se, davam-se as mãos, juravam amor eterno e olhavam-se nos olhos. Também se miravam no espelho. Era fácil trocarem de amor para ódio e vice-versa. Assim acontecia porque eram adolescentes namorados.
  • Amavam-se, davam-se as bocas braços corpos e as mãos. Olhavam-se nos olhos. Planejavam casar-se com casa nova e filhos. Juravam amor eterno. Assim aconteceu porque estavam noivos.
  • O amor diminuiu, o desamor o desalento e o desprezo cresceu. Não se davam as mãos, não se olhavam nos olhos. Quase não olhavam um para o outro. O desprezo cresceu e passou à frente dos outros amores. Assim aconteceu. Não se sabe se era união de muitos anos.
  • Sentia saudade. Onde ela estaria? Queria vê-la, encontrá-la e tomar-lhe as mãos nas suas. Olhar nos seus olhos. O casal não mais existia fazia anos. Nenhum dos dois sabia onde estava o outro. Assim acontece na vida de muitas pessoas.

Benedito Carneiro

Escritor, físico, professor, locutor de rádio e analista de sistemas.

Comentários estão fechados