No elevador

capa de livro de contos de Benedito CarneiroNo centro do elevador. Com os braços estendidos tinha mais de um palmo de distância entre suas mãos e as paredes de aço escovado brilhante. Fechou os olhos e sentiu o contato com as paredes frias dos dois lados nas pontas dos dedos das duas mãos. Até hoje não sabe se foi o elevador que encolheu ou os seus braços que cresceram.

Benedito Carneiro

Escritor, físico, professor, locutor de rádio e analista de sistemas.

Comentários estão fechados