Tarde demais

capa de livro de contos de Benedito Carneiro– Você por aqui!
– Quanto tempo!

– Como tem passado?
– Muito bem. Casei-me, sabia?

– Sim, soube no dia do seu casamento. É feliz?
– Sou, mas tenho saudade de nós. Não devia, sei que não devia, contudo sinto assim mesmo.

– Não posso dizer que não devia, se lhe é impossível sentir.
– Agora sou uma mulher casada e feliz no meu casamento.

– Se é casada e feliz, por qual razão sente saudade de nós?
– Talvez da angústia incerteza e do descontrole do bater de nossos corações quando nos encontrávamos.

– Tarde demais.
– Sim, tarde demais. Talvez nos encontremos em outro dia.

– Duvido muito. Estou de partida para outro país. Nunca mais voltarei.
– Por que diz que nunca mais voltará?

– Porque não terei razões para voltar aqui.
– Então, adeus.

Benedito Carneiro

Escritor, físico, professor, locutor de rádio e analista de sistemas.

Comentários estão fechados